História Agora

Homenagem às mulheres – Grandes Historiadoras

No dia internacional da mulher, o site História Agora preparou uma homenagem às historiadoras, lembrando alguns nomes que dedicaram – e ainda dedicam – suas vidas ao estudo das sociedades do passado.

 

Maria Odila Leite da Silva

Sem sombra de dúvidas, Maria Odila é uma das historiadoras brasileiras mais reconhecidas no cenário acadêmico.  Graduou-se em história pela Universidade de São Paulo e desenvolveu suas pesquisas de mestrado e doutorado na mesma instituição, sob orientação de Sérgio Buarque de Holanda.

Sua obra é vasta! Temas sobre escravidão, relações de gênero, historiografia e teoria da história são contemplados pelo olhar crítico da historiadora em  diversas publicações acadêmicas, como artigos científicos e livros.

Trata-se de uma historiadora que dedicou sua vida à carreira de pesquisadora e docente.

 

Ellen Wood

Ellen Wood foi uma das principais intelectuais da chamada New Left britânica. Com uma formação bastante plural – graduou-se em línguas eslavas pela Universidade da Califórnia e fez o doutorado em Ciência Política na mesma instituição -, Wood se debruçou sobre as mais variadas temáticas. Como aponta Mozart Silvano Pereira, “seus assuntos iam da história da Grécia antiga ao imperialismo contemporâneo, da formação do pensamento político clássico à crítica do pensamento pós-moderno”.

No campo historiográfico, suas principais contribuições são A Origem do Capitalismo e Em defesa da história: marxismo e pós-modernismo.

 

Laura de Mello e Souza

Assim como Maria Odila, Laura de Mello e Souza fez toda sua formação em história na Universidade de São Paulo. Suas pesquisas versam sobre História do Brasil Colônia, com ênfase em estudos sobre cultura e religiosidade.

Orientada por Fernando Novais no mestrado e doutorado, Laura conquistou reconhecimento internacional com suas pesquisas, sendo convidada por várias universidades do mundo, como a Universidade do Texas, de Sorbonne, a Universidade Nacional do México, para ser professora.

Suas principais obras são Desclassificados do ouro: a pobreza mineira no século XVIII e O Diabo e a Terra de Santa Cruz: feitiçaria e religiosidade popular no Brasil colonial.

 

Maria Yedda Linhares

Maria Yedda Linhares talvez seja um dos principais nomes da historiografia brasileira. Graduada e doutora em história pela antiga Universidade do Brasil, atual UFRJ, suas principais contribuições historiográficas foram no campo da História do Brasil. Dentre elas, destacam-se inúmeras publicações, como História Agrária Brasileira: combates e controvérsias, História Geral do Brasil, Terra e Alimento, Panorama dos 500 Anos de Agricultura no Brasil, e sua participação na criação do campo de estudos de História Agrária.

Durante a ditadura militar, Maria Yedda foi perseguida, presa e aposentada compulsoriamente.  Com apoio de intelectuais como Fernand Braudel e Jean Paul Sartre, a historiadora se exilou na França, onde lecionou por vários anos. Quando retornou ao Brasil, Maria Yedda Linha voltou à atividade de professora e pesquisadora. Além disso, durante o governo de Brizola foi secretária de educação do Rio de Janeiro.

 

[EDIT] Pessoal, colocamos apenas alguns nomes para que a data não passasse em branco. Temos certeza que cada um de vocês conhecem grandes historiadoras que também mereceriam estar na lista. Agradecemos se nos ajudarem a aumentar esta lista aqui nos comentários.

Robson Bertasso

Acadêmico do curso de História da UFPR. Possui interesse em temas relacionados à História da Historiografia e à História das Ciências Sociais na França. contato@historiaagora.com.br

Comentários no Facebook